Apoio aos Corais

 Este programa de apoio agrega atualmente as atividades de 08 (oito) corais compostos por integrantes da comunidade universitária e externa.São eles:

  • Coral da UnB

O Coral da Universidade de Brasília nasceu em maio de 1981. No desenvolvimento de seu trabalho, funcionou como embrião para a criação da Serenata de Natal, tradicional na cidade, dentre outros projetos. Em 30 anos de atividades, recebeu inúmeras premiações em concursos nacionais e internacionais. Teve como regentes importantes maestros brasileiros, como David Junker, Nélson Mathias, Emílio de César, Jocelei Bohrer, Glicínia Mendes e Marconi Araújo.
Atualmente, este coral, com cerca de 35 (trinta e cinco) integrantes das mais variadas idades e profissões, reúne-se sob a regência do maestro Éder Camúzis, com um único objetivo: difundir o canto coral em Brasília, no Brasil e no exterior. Em outubro de 2014, o Coral recebeu moção de louvor da Câmara Legislativa do Distrito Federal após ser reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Distrito Federal.

  • Coro Sinfônico Comunitário

Com uma didática especialmente desenvolvida para o público leigo, sem nenhum conhecimento musical, o Coro Sinfônico capacita pessoas da comunidade para cantar obras para coro e orquestra de compositores como Beethoven, Mozart, Bach, Rossini, Händel, dentre outros.
Assim, a cada ano, o Coro Sinfônico apresenta 02 (dois) concertos acompanhados, a partir do ano de 2013, da Orquestra Sinfônica da UnB, unindo mais de duzentas vozes numa celebração à música erudita. O Coro Sinfônico tem transmitido a seus integrantes as noções de teoria musical, técnica vocal, conhecimento das obras e de seus compositores, além de formar plateias para outras realizações culturais.
Em 2015, realizou-se o Concerto de Gala e o Concerto de Inverno, com 02 (duas) apresentações cada e mais 02 (duas) apresentações no Auditório de Música do Colégio Militar de Brasília.

  • Coral dos Cinquentões

O Coral dos Cinquentões da UnB, formado em 1999, foi vinculado ao projeto de Ação Continuada do Núcleo de Estudos e Pesquisas da Terceira Idade - NEPTI, do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares da UnB - CEAM.
O Coral é formado por vozes mistas, na faixa etária a partir de 50 anos. Seu regente, Sérgio Kolodziey, possui vasta experiência na criação de corais da terceira idade. O coralista é conduzido a ter um olhar diferenciado para a arte do canto coral, tendo a oportunidade de participar de técnicas que trabalham a saúde por meio de jogos musicais. O repertório eclético permeia folclore, popular, sacro e erudito.
O Coral presta seus serviços artísticos culturais à comunidade do Distrito Federal, bem como realiza suas apresentações em outras
regiões do Brasil. Em 2015, realizou 23 (vinte e três) apresentações em festivais de corais internacionais e nacionais, em solenidades governamentais, escolas, asilos, creches, hospitais, bancos, embaixadas e televisão e conta com 35 (trinta e cinco) integrantes.

  • Coro Italiano

A UnB conta com mais uma grande iniciativa de caráter musical e, sobretudo, cultural: o Coro Italiano da UnB. Criado em 2005 e reestruturado no ano de 2009, atualmente está sob a regência de Felipe Ayala e do estudante corepetidor Rafael Ribeiro. Possui 48 (quarenta e oito) integrantes.
Para fazer parte do coral não é necessário saber italiano. O interesse maior do Coro é proporcionar contato com a cultura da Itália por meio do canto coral, promovendo a interface com a comunidade brasiliense.
Em 2015, o Coral aprovou seu primeiro projeto pela Lei Rouanet com o apoio da DEA e realizou 10 (dez) apresentações.

  • Camerata de Música Antiga da UnB

Este movimento originou-se da Camerata Ataíde, criada em 2010 em homenagem ao mestre colonial mineiro Manoel da Costa Ataíde, por iniciativa da Maestrina Adilude Valadão, com o objetivo de pesquisar e estudar a música antiga, em especial a colonial brasileira, inicialmente formada por estudantes de Música, estagiários na Diretoria de Esporte, Arte e Cultura – DEA, e convidados.
Em 2011, a Camerata Ataíde passou a ser formada por alunos do Departamento de Música da UnB e interessados na música antiga. Seu repertório é formado por música da capela renascentista, barroca e colonial brasileira. A partir dessa data, realizou suas primeiras apresentações sob a regência do Prof. Adeilton Bairral, no mosteiro de São Bento e na série Música na Reitoria, tornando-se também um projeto de extensão. Em 2013, passou a denominar-se Camerata de Música Antiga da UnB, sendo composta agora, por dois Núcleos: um Vocal, o qual já existia, e um Instrumental.

  • Coral dos Servidores da UnB

Em 1972, Izaltina dos Santos veio para Brasília convidada pelo Professor Orlando Leite do Departamento de Música, que lhe transmitiu os primeiros ensinamentos musicais. Em 1980, a até então servente Izaltina foi promovida técnica em música e passou a reger o Coral dos Servidores da UnB, nomeada pela Vice-Reitoria. Em 1985, o Coral foi oficializado pelo Reitor e Izaltina foi nomeada Maestrina, até sua aposentadoria, em 1987. Em 2002, a Maestrina e cantora Izaltina lançou um álbum com Seu Teodoro, resultado do Prêmio Renato Russo conquistado no ano 2000, o qual reuniu 15 (quinze) canções. Em 2006, Izaltina faleceu.
Em novembro de 2004, o Coral dos Servidores da UnB - ASFUB reiniciou suas atividades. Atualmente, com 28 (vinte e oito) componentes, dentre eles, professores, estudantes da UnB e comunidade externa, participou de 16 (dezesseis) apresentações, dentre elas o Encontro de Corais da UnB e o Encontro de Coros no SESC 913 Sul, sob a regência do Maestro Renato Pedro. Propagando o nome da UnB, o Coral dos Servidores tem sido um veículo difusor da música coral por todo o território nacional. Em 2015 realizou 09 (nove) apresentações.

  • Coral Madrigal da UnB

Fundado em 1992 pelo maestro David Junker, o Madrigal da UnB é formado por alunos do Departamento de Música da Universidade de Brasília e pessoas da comunidade externa. Seu repertório se caracteriza por obras dos mais variados estilos, desde a Renascença, até a Música Moderna e o trabalho camerístico desenvolvido visa o contínuo aprimoramento da habilidade musical de cada cantor.

  • Serenata de Natal

Em Brasília, quando chega dezembro, um grupo de voluntários visita quadras, hospitais, creches e asilos, levando música e alegria às pessoas. Estudantes da Universidade de Brasília e gente das mais variadas profissões e idades se unem e reservam cerca de 03 (três) horas semanais, a partir do final de agosto, para ensaios.
Eles formam a Serenata de Natal da UnB que, criada em 1981, já é considerada uma das tradições culturais da jovem capital da república. O grupo começou com aproximadamente 20 (vinte) pessoas, cujo objetivo inicial era o de alegrar o Natal dos amigos que, por um motivo ou outro, não podiam viajar para passar o final de ano com seus parentes em outros estados. Com o tempo, o pequeno coro foi ganhando mais adeptos, apoio da Universidade, patrocinadores e uma causa social. A média anual de participantes é de 200 (duzentas) pessoas, em sua grande maioria leiga em música.
Além de encantar o público nos lugares onde se apresenta, a Serenata alavanca seu trabalho social recebendo doações de alimentos não perecíveis e outros materiais. Os próprios voluntários do coral doam parte do que é arrecadado, mas a maior parcela dos donativos a Serenata recebe da comunidade. Em 2015 realizou 45 (quarenta e cinco) apresentações.

  •  Encontro de Corais da UnB

Iniciado em 2009, criado e coordenado pelo Núcleo Sonoro do Serviço Artístico e Cultural da DEA, o Encontro de Corais da UnB surgiu como uma proposta de confraternização entre todos os coros da Universidade de Brasília, ou que tenham parceria com a mesma, assim como coros convidados, numa apresentação anual.

  • Encontro de Corais da Terceira Idade

Realizado em parceria com o Coral dos Cinquentões, este evento reuniu 09 (nove) corais compostos por pessoas da terceira idade, coordenados pelo regente Sérgio Kolodziey, e a presença de 200 (duzentos) coralistas.